Destaques
 

Recomendações de Segurança

             GÁS EM GARRAFA

Gás em Garrafa, Redutores e Tubos Flexíveis

  • Verificar sempre se as garrafas cheias que compra trazem o selo de segurança intacto;
  • Assegurar-se de que, ao ligar o redutor à válvula da garrafa, este fica bem ajustado;
  • Evitar embates ou choque na válvula, para que não afete as suas condições de segurança;
  • Não deitar nem inverter as garrafas de gás quando estão em utilização;
  • Não usar ferramentas no manuseamento da válvula ou do redutor;
  • Se suspeitar de algum defeito na válvula ou no funcionamento do redutor, contactar o revendedor local;
  • Após terminada cada utilização, deixar o redutor fechado, mas não o retirar da garrafa;
  • Não substituir a garrafa de gás vazia por uma cheia perto de chamas ou outra fonte de ignição;
  • Não utilizar nem armazenar garrafas de gás em caves;
  • O tubo flexível utilizado na ligação deve ser apropriado para gás (butano ou propano) e apresentar a respetiva marcação. Não pode ter mais do que 1,5 m de comprimento;
  • Ao instalar o tubo flexível no redutor e no aparelho a gás, deve ajustar bem o tubo, utilizando as braçadeiras bem justas nas duas extremidades; Não dobrar/estrangular o tubo;
  • Ter o cuidado de manter sempre o tubo longe de fontes de calor, devendo evitar a sua passagem pela parte de trás dos fogões;
  • Cumprir o prazo de validade impresso no tubo flexível;
  • Analisar com frequência o tubo, e substitui-lo se verificar que a borracha está a ficar ressequida, com fissuras ou com um aspeto encortiçado;

Mudança de garrafas de gás·         

  • O gás butano tem dificuldade em se vaporar (passar da fase líquida para a gasosa) em temperaturas ambientes baixas, na ordem dos 0°C. Ou seja, o que está líquido dentro da garrafa permanecerá líquido, não podendo ser consumido pelos equipamentos. Nesta situação, deverá mudar-se para gás propano. Terão de instalar-se novos redutores nas botijas;
  • Nunca mudar as garrafas nas proximidades de uma chama ou qualquer outra fonte de ignição. Desligar primeiro quaisquer aparelhos de queima (por exemplo, caldeiras) ou equipamentos elétricos (por exemplo, termoacumuladores) que possam existir;
  • Antes da mudança de garrafas de gás propano, fechar as válvulas de todas as garrafas existentes e a válvula de corte geral de instalação. Certificar-se de que ficam bem ajustadas;
  • As garrafas de gás propano devem estar sempre na posição vertical, com a válvula para cima e de forma a não caírem. As garrafas vazias devem ter as suas válvulas fechadas;
  • Poderá transportar na sua viatura até duas garrafas de gás (cheias ou vazias) para consumo e utilização, no entanto, fazê-lo sempre com as janelas ligeiramente abertas, e não deixar a viatura muito tempo imobilizada com exposição ao sol;
  • No transporte das garrafas de gás propano, nunca deve segurar-se a válvula como ponto de apoio;
  • Sempre que se mudar de garrafa, devem seguir-se atentamente as
  • instruções de colocação do redutor e estar atento a possíveis fugas, as quais se detetam pelo cheiro característico do gás. Se possível, verificar se as ligações
    estão estanques, com espuma de sabão ou outro produto espumífero;
                                                            
  • A cabina de armazenamento de garrafas de gás propano deve estar em local acessível, no exterior, e nunca abaixo do nível do solo, o que pode facilitar a eventual acumulação de gás em compartimentos, canais, poços, esgotos, ou outros pontos baixos nas proximidades. A cabina deve possuir portas metálicas com fecho e abertura para fora, de modo a proteger as garrafas, e ser ventilada (com aberturas permanentes ao nível superior e inferior). Não podem existir na cabina quaisquer materiais combustíveis ou outros materiais estranhos. Deverá conter uma indicação de proibição de fumar ou fazer fogo.

Equipamentos/aparelhos a gás

  • Certificar-se de que os equipamentos a gás que adquirir foram aprovados e preparados para o gás que pretende utilizar (butano/propano);
  • Acender o fósforo ou o isqueiro antes de abrir o gás no aparelho;
  • Não deixar que os líquidos a ferver se derramem e apaguem o lume, evitando a saída do gás diretamente do queimador sem arder;
  • Quando a chama ficar instável, com ruído ou muito amarelada, deve solicitar manutenção do seu aparelho;
  • Quando acabar de utilizar o aparelho, fechar o gás, no respetivo manípulo do aparelho e também no redutor, mas sem o retirar da garrafa;
  • Nunca instalar esquentadores em casas de banho nem quartos; 
  • O local da instalação dos esquentadores a gás deve ser bem ventilado;
  • Recorrer a entidades credenciadas para a instalação dos esquentadores (Certificar-se de que é assegurada uma tiragem correta, com a conduta de evacuação dos produtos de combustão devidamente montada entre a saída do aparelho e o exterior da habitação ou a conduta da chaminé);
  • Nunca alterar de posição o sensor de evacuação dos produtos de combustão, colocando em risco a sua saúde (intoxicação por monóxido de carbono);
  • Antes de acender o esquentador, deve certificar-se que as torneiras de água quente se encontram fechadas.


 O que fazer em caso de fuga de gás

  • Fechar imediatamente o redutor (nas garrafas e na válvula de corte geral) e as torneiras do aparelho a gás;
  • Abrir todas as portas e janelas para ventilar o local;
  • Apagar (e não fazer) qualquer chama com fósforos, isqueiros, acendedores, velas, cigarros, etc;
  • Evitar fazer qualquer tipo de faísca, não ligar nem desligar nenhum interruptor ou aparelho elétrico, nem utilizar o telefone ou o telemóvel nesse local;
  • Desligar o quadro elétrico, apenas se este estiver fora do compartimento onde detetou o cheiro a gás;
  • As zonas mais perigosas e passíveis de provocarem acidentes, localizam-se junto do ponto de fuga de gás,  e próximo do solo, uma vez que este gás (butano ou propano) é mais pesado do que o ar;
  • Utilizar sempre uma emulsão de água e sabão ou um produto que faça espuma. Nunca procurar a fuga de gás com uma chama;
  • Se o cheiro a gás não desaparecer, colocar a garrafa ao ar livre e chamar os bombeiros locais;
  • Se a fuga de gás se atear/inflamar, tapar o local da fuga com um pano húmido, se possível;
  • Em caso de incêndio, certificar-se de que não fica ninguém em casa e ligar de imediato o 112.
  • Não tentar combater o incêndio, sobretudo se houver mais garrafas dentro da habitação, devido ao risco de explosão.